Centro de Memória

A Instituição

Jubileu de Ouro

Acervo

Galeria de Mídias

Saiba mais

Ivo Giolito

Autores: Silvia Helena Pires Serrano

Editores Associados: Leila Cardoso Teruya

O Professor Ivo Giolito graduou-se no curso de Farmácia e Bioquímica da Universidade de São Paulo em 1957 e defendeu Tese de Doutoramento em 1968. Em 1989, tornou-se Professor Associado do IQ-USP e, em 1990, Professor Titular da mesma Instituição.

Iniciou seus trabalhos na linha de Técnicas Termoanalíticas em 1974 e fundou o primeiro Laboratório de Brasileiro em Técnicas Termoanalíticas. Esse laboratório, situado no Bloco 8 Térreo do IQ-USP, recebeu o nome do Professor em 1992, sendo hoje dirigido pelo Prof. Dr. Jivaldo do Rosário Matos, um dentre vários de seus brilhantes discípulos. Em 1987, O Professor Ivo propôs a fundação da Associação Brasileira de Análise Térmica e Calorimetria e orientou diversas Teses de Doutoramento. 

Prof. Ivo Giolito e a primeira termobalança do IQ-USP

Escreveu os Livros: “Métodos Eletrométricos e Eletroanalíticos: Fundamentos e Aplicações”, 2ª ed., 1980 Multitec, São Paulo, São Paulo, 273 p.; “Química Analítica Quantitativa: Guia de Laboratório” (em colaboração Lauro. D. Moretto), São Paulo EDUSP 1967, 119 p. e “Medidas Fotométricas”, Grupo de Coordenação para o Aperfeiçoamento Tecnológico; s.d. 151 p. 19?? (disponível apenas na Biblioteca do Instituto Oceanográfico da USP).

O Professor Ivo era uma pessoa com personalidade marcante. Sempre alegre e muito bem-humorado, costumava chegar muito cedo ao Instituto. Era uma pessoa com quem podíamos conversar sobre Química, em especial Química Analítica e Instrumentação em Química. Pessoa com muitas habilidades e saber, que de longe extrapolavam o conhecimento puramente científico; gostava de automóveis, de mecânica de automóveis (por diversas vezes, nos socorria) e gostava, ainda mais, de Filosofia. Organizou, junto com o Professor Tibor Raboczkay, a Oficina de Filosofia com reuniões no horário de almoço e que se estendeu por cerca de dois anos (1990-1991). Desta, fizeram parte inúmeros pós-graduandos.

O Professor Celso Figueiredo Bittencourt relembra em parte de seu discurso de posse na Academia Nacional de Farmácia, realizada em São Paulo, SP, em 15 de agosto de 2008, suas origens e nomes de pessoas que se tornaram expoentes na Academia e que lhe trouxeram novos conhecimentos. Nesta lista, reconhecemos nomes de Professores que ajudaram a construir o Instituto que temos hoje: Ivo Giolito, Mário Motidome, Roberto Rittner e Roberto Tokoro. Diz o Professor Bittencourt em parte de seu discurso:

“Vamos às origens: Os anos sessenta foram marcados pela Revolução Estudantil em Paris, pelos Beatles, e pelo início da Jovem Guarda. Vivendo toda esta modificação cultural, tive o prazer de conviver com colegas que se tornaram expoentes acadêmicos como:

Andrejus Korolkovas;

Erica Rosa Maria Kedor-Hackamn;

João Fernandes Magalhães;

Maria Inês Rocha Miritello Santoro.

Em minha procura por conhecimentos novos, meu destino se cruzou com os Professores Ivo Giolito, Lauro D. Moretto, Mário Motidome, Paulo Carvalho Ferreira, Roberto Rittner Neto e Roberto Tokoro, entre outros”.

Na foto abaixo, temos três grandes Mestres da Química Analítica - os Professores Eduardo (in memorian), Ivo (in memorian) e Jaim (in memorian) - e um grande Mestre da Físico Química, o Professor Riveros. Juntos, ajudaram a construir o Instituto que herdamos e do qual tanto nos orgulhamos.

 

Professor Ivo Giolito na companhia de três outros docentes do IQ-USP.

 Hoje, 22 anos após a partida do Professor Ivo Giolito e também de outros colegas queridos, ainda me lembro com muita saudade destes Mestres que marcaram, de forma tão profunda e construtiva, minha vida acadêmica e pessoal.

 

Fonte consultada:

http://www.academiafarmacia.org.br/discursos_celso.php

Fale Conosco




Todos os campos são obrigatórios.


Enviando...

Fechar formulário