Conjunto das Químicas

Fotos que mostram os espaços e as instalações do Conjunto das Químicas.

PORTAL LABIQ

Parte de uma planta preliminar da Cidade Universitária, com o esboço dos blocos do Conjunto das Químicas e, no canto superiro direito, os prédios do atual Instituto de Biociências.

(Imagem cedida por Lucio Angnes)

Anos 1960. Maquete de um anteprojeto do Conjunto das Químicas com 19 blocos. Não estavam previstos os atuais Blocos 06, 12 e 22.

(Arquivo Paschoal Senise. Centro de Memória do IQ-USP)

Projeto final do Conjunto das Químicas, com 22 blocos, elaborado pelo arquiteto Alberto Daniel.

(Imagem digitalizada da revista Arquitetura e Construção v.1 n.1 publicada em novembro de 1966)

1964. Vista panorâmica do Conjunto das Químicas e do prédio da Geografia e História em construção na Cidade Universitária.

(Acervo da Administração do Instituto de Química da USP)

Na concepção do arquiteto, a caixa d’água representa o elemento vertical que contrasta com o conjunto predominantemente horizontal dos blocos.

(Acervo da Administração do Instituto de Química da USP)

Planta de um bloco e corte transversal dos Blocos 01 e 02 do Conjunto das Químicas. As divisões internas foram feitas, em geral, com painéis móveis, proporcionando flexibilidade.

(Imagem digitalizada da revista Arquitetura e Construção v.1 n.1 publicada em novembro de 1966)

Capa da revista Arquitetura e Construção v.1 n.1 novembro 1966, ilustrada com a imagem de um dos corredores laterais do Conjunto das Químicas, recém-construído.

(Fotógrafo: Jack Tingueli)

1966. Os blocos da Faculdade de Farmácia e Bioquímica, atual Faculdade de Ciências Farmacêuticas.

(Fotógrafo Jack Tinguely)

1966. Entrada do Bloco 06. Ao fundo, os prédios da Faculdade de Farmácia e Bioquímica, atual Faculdade de Ciências Farmacêuticas.

(Fotógrafo Jack Tinguely)

1966. A marquise em frente ao Bloco 06 e o edifício circular dos anfiteatros do Conjunto das Químicas. O acabamento foi feito com materiais, cimento e tijolos, em seu estado natural para baratear o custo da construção.

(Fotógrafo Jack Tinguely)

Anos 1970. O prédio dos anfiteatros, apelidado de “Queijinho”, visto do pátio em frente ao Bloco 06.

(Acervo da Administração do Instituto de Química da USP em documento protocolado em 1972)

Anos 1970. Sala de aulas no Bloco 07 do Conjunto das Químicas.

(Acervo da Administração do Instituto de Química da USP em documento protocolado em 1972)

Anos 1970. Bloco 10 superior. Laboratório de pesquisa de Bioquímica.

(Acervo da Administração do Instituto de Química da USP em documento protocolado em 1972)

Anos 1970. Bloco 10 superior. Sala de centrífugas do Departamento de Bioquímica. Os aparelhos eram de uso comum.

(Acervo da Administração do Instituto de Química da USP em documento protocolado em 1972)

Anos 1970. Imagem do corredor interno do Bloco 02 térreo, ainda não tomado por armários e geladeiras, preservando a concepção do arquiteto ao projetar o Conjunto das Químicas.

(Créditos Marcelo de Souza Osório)

Anos 1970. Vista lateral externa do Bloco 01, com destaque para o prolongamento da cobertura, usando placas perfuradas, planejadas pelo arquiteto para proteger as salas de uma insolação exagerada.

(Acervo da Administração do Instituto de Química da USP)

O mesmo bloco, em 22/06/2009, sem as placas perfuradas que se deterioraram e foram removidas nos anos 1980.

(Créditos Paulo Antonio Monteiro da Silva)

1984. Pátio de entrada do Instituto de Química. À direita, o edifício do almoxarifado, oficinas e biotério e a torre da caixa d’água, à esquerda, o Bloco 01 e entre eles, mais à frente, o marco de inauguração do Conjunto das Químicas e os mastros para as bandeiras.

(Créditos Henrique Eisi Toma)

Anos 1980. Representação artística do Instituto de Química em folheto de divulgação da pós-graduação.

(Arquivo Paschoal Senise. Centro de Memória do IQ-USP)

1984. Pátio de entrada do Instituto de Química. Em primeiro plano, o marco da inauguração do Conjunto das Químicas, à direita, os blocos 01 a 06 e à esquerda, mais ao fundo, o prédio circular dos anfiteatros.

(Créditos: Henrique Eisi Toma)

1984. Vista frontal do Instituto de Química da USP. Estacionamento de carros em frente ao Bloco 07, onde posteriormente foi construído o Bloco 00.

(Créditos Henrique Eisi Toma)

1984. Oficina de hialotécnica, no prédio de manutenção/almoxarifado do Conjunto das Químicas, construído ao redor da caixa d’água. À frente, Jayme Bizarro e mais atrás, à direita, Antonio de Carvalho (o Toninho).

(Créditos Henrique Eisi Toma)

1984. Oficina de carpintaria, no prédio de manutenção/almoxarifado, focalizando em primeiro plano Antonio Porto, o chefe da secção.

(Créditos Henrique Eisi Toma)

1984. Oficina mecânica, no prédio de manutenção/ almoxarifado, com os funcionários Amílcar Pereira André (de boné) e Carlos Leal.

(Créditos Henrique Eisi Toma)

1984. Laboratório de eletrônica no prédio de manutenção/ almoxarifado e o técnico Antonio Geraldo Ayrosa.

(Créditos Henrique Eisi Toma)

 

1984. Oficina mecânica do Laboratório de Espectroscopia Vibracional, no Bloco 04 térreo e o funcionário Paulo Pinto da Silva.

(Créditos Henrique Eisi Toma)

1984. Laboratório de pesquisa de Fotobioquímica e Bioluminescência do grupo do professor Giuseppe Cilento, no Bloco 10 superior.

(Créditos Henrique Eisi Toma)

1984. Laboratório de pesquisa de Genética Molecular no Bloco 12 e o Prof. Francisco Gorgônio da Nóbrega.

(Créditos Henrique Eisi Toma)

1984. Laboratório de pesquisa de Química de Lantanídeos, no Bloco 08 térreo e o Prof. Geraldo Vicentini.

(Créditos Henrique Eisi Toma)

Um laboratório didático nos anos 1980 (Laboratório de Química Orgânica Experimental no Bloco 05 térreo)

(Créditos Henrique Eisi Toma)

Um laboratório didático reformado nos anos 2000 (Laboratório de Físico-Química Experimental no Bloco 01 superior).

(Créditos Ivano Gutz)

O galpão recém construído e o jardim da Praça da Integração em 1998, tendo ao fundo a escadaria da caixa d’água.

(Imagem cedida por Lucia Janeiro Ribeiro)

Abril de 1998. O prédio da Praça da Integração no dia de sua inauguração. À direita, o prédio de manutenção/almoxarifado.

(Imagem cedida por Lucia Janeiro Ribeiro)

27/11/2003. Vista a partir da escadaria da caixa d’água. Em primeiro plano, a laje do edifício do almoxarifado, à direita o telhado do prédio da Praça da Integração e ao fundo, os blocos do Instituto de Química.

(Créditos: Ivano Gutz)

O mesmo lugar nos anos 1980, aparecendo em primeiro plano, o professor Eduardo Fausto de Almeida Neves, depois a laje do edifício do almoxarifado e ao fundo a entrada do corredor central do Instituto de Química.

(Créditos Ivano Gutz)

31/10/2003. A Praça da Integração do Instituto de Química, tendo à direita o Bloco 01, construído nos anos 1960 e ao fundo o Bloco 00, inaugurado em 1995.

(Créditos Ivano Gutz)

Corredor central do Instituto de Química em maio de 2002, fotografado de uma posição em frente ao Bloco 00.

(Imagem cedida por Lucia Janeiro Ribeiro)

21/11/2003. O estacionamento, o gramado, a portaria e os Blocos 01 e 02 do Instituto de Química, com a caixa d’água ao fundo.

(Créditos Ivano Gutz)

28/09/2006. A marquise ao longo dos Blocos 01 a 06 do Instituto de Química.

(Créditos: Jair João Menegon)

28/09/2006. Corredor lateral entre dois blocos do Instituto de Química.

(Créditos Jair João Menegon)

28/09/2006. Vista lateral da caixa d’água rodeada pelo edifício do almoxarifado, oficinas e biotério do Conjunto das Químicas.

(Créditos Jair João Menegon)

28/09/2006. A portaria do Instituto de Química e o Bloco 01.

(Créditos Jair João Menegon)

10/04/2014. A portaria junto ao início da marquise e o marco da inauguração do Conjunto das Químicas.

(Créditos Viktoria Klara Lakatos Osorio)

Placa da inauguração do Conjunto das Químicas ocorrida em 25 de janeiro de 1966.

(Créditos Viktoria Klara Lakatos Osório)

18/10/2012. Avenida Lineu Prestes, 748. Placa de sinalização do Instituto de Química, conforme padrão utilizado em todo o campus da USP.

(Créditos Viktoria Klara Lakatos Osório)

Auto-play - ligado